Pois é. Crise de identidade é um problema...

30.6.03

... o blogger new (de novo)
ou... uma pegadinha


Só porque vc já tinha criado um novo endereço (hoje sou no blogger.com.br), já tinha preparado o layout pra mudança, já tinha até colocado um post, avisando aos navegantes que seu blog tinha mudado de endereço. Só por isso, eu resolvi voltar a funcionar.

hehehe

Olhe praquele canto ali e sorria! Você está sendo filmado!

27.6.03

... um filézinho

Aí, gata! Se amarrei na sua lata!

Hoje tem Dose Dupla lá na Via Show. Bora lá, que eu quero te amostrá a dose dupla do negão aqui, ?!

26.6.03

... o new blogger

Hmmmmmmm

Esses acentos estavam deliciosos.

S? que eles me fazem arrotar interrogaç?es...

??????????????

25.6.03

... o silêncio

Estou sem palavras...




(Inspirado por Moidsch.)

23.6.03

... um cuspe

Opa! Opa! Ooooopa!

Acho que tá na hora. Tô sentindo. Tá puxando!

Oooooopa!!!

Pulmão, traquéia, laringe, faringe, nariz...

Ixe! Não é nariz, não! É...

Bocaaaaaaaaaaaaaaaaa a   a     a        a

.

.

.

Ih!


Cabeça!

19.6.03

Feriado... dia de lançar mão dos nossos arquivos

hoje sou série blogueiros...
... blogueiro metido a cabeça

olhei, sem querer olhar
vi, sem querer ver
escutei, sem querer escutar
senti
senti
sem ti

como é difícil dar nó em pingo d´água...

mais da série blogueiros:

... um blogueiro enturmado

Aniversário do Teco. Sempre muito bom. Nanda, Dado, Bobs, todo mundo lá. Adorei!!! Bjo procês.
Aliás, Tininha tava q tava! Mensagem na garrafa! hahahaha
David não foi, não sei pq! Perdeu!!!

... Rita Pavone


Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra! Tchu-ru tchu-u-ra!


(valeu Bruno catito!)

18.6.03

... o fundo azul do chroma key

Uma rua movimentada, uma paisagem nas montanhas, o espaço sideral, copos, livros, gravatas, um quarto de criança, splash, bum, bang, o deserto, o oceano, o céu, neve, neve e mais neve, um relógio gigante, efeitos de cor, uma parede de azulejos estampados em azul celeste e amarelo ovo, uma espiral de caderno, texturas esquisitas, um bando de espermatozóides, uma adega, grama, grama e mais grama, antenas de tv, telhados, a família Simpson, um palco iluminado, o show do Elvis Presley, lençóis, tapetes, almofadas, produtos de limpeza, uma mitocôndria, o bico de um ornitorrinco, um estômago, cabelos, pentelhos, uma montanha de palha, crianças correndo, dentes.

Gente, me deixem em paz!

Apaga esse efeito que eu quero ficar azul de novo!

16.6.03

... qualquer coisa

Na boa... todo mundo vira pra mim e diz: "Do que é que você está reclamando? Você pode ser qualquer coisa? Tem total livre arbítrio! Todas as opções do mundo às suas mãos!"

Pois é... Mas eu rebato, isso é terrível! Sabem por que? Eu não sou o tudo ou uma coisa definida. Eu sou qualquer coisa. Uma coisa qualquer. Não importa o que. Sou indefinida, incerta, sem identidade.
E por nunca possuir a mesma forma, ninguém me reconhece, o que teoricamente seria o mesmo que dizer que ninguém me conhece. A cada vez que encontro um amigo, tenho que me identificar, explicar mais uma vez quem sou. E não adianta querer manter a mesma forma por um certo tempo. Eu não saberia. Minha personalidade inconstante, de qualquer coisa, não me permite esse luxo.
Sem falar nas vezes em que tenho que ouvir: "Ah! Qualquer coisa tá bom!" Imaginem como isso não afeta minha auto-estima!

Pois então, amigos, pensem bem antes de chegarem com aquele papinho: "Como eu queria estar no seu lugar agora!"

Ser qualquer coisa não é pra qualquer um, não, tá?

14.6.03

... a globalização

Veja bem, veja se você me entende de uma vez por todas!

Uma princesa inglesa, namora um milionario árabe, certo? Daí eles saem de um restaurante italiano na capital francesa, são guiados num carro alemão por um motorista holandês, sofrem um acidente e são atendidos por um medico brasileiro!

Me entendeu agora?

(transfiguração gentilmente cedida por Charles. Abraços!)

13.6.03

... ocupada

Posso escrever num outro dia? Tô numa ligação importante, agora... Depois tenho uma reunião e amanhã eu viajo. Só devo voltar semana que vem.
Ih, peraí. Celular!
Alô? Oi, Silvia! Sim, sim. Não, não. Sei sei. Minutinho...
Assinar aqui? Aqui também? Certo. Certo.
Oi, querida, desculpa, o q vc tava falando mesmo? Ah tá. Sei. Peraí.

Mas, então. Pode ser mês que vem? Prometo que te mando um texto bac...

Alô?! Oooooi, Rafa! Tudo certo? Tudo, tudo. Pois é...

12.6.03

... solteiro, livre e desempedido

Oi ? Que dia é hoje? Dia 12 de junho, oras.

Dia da Independência das Filipinas (1946)
Dia do Correio Aéreo Nacional
Dia Nacional da Federação Russa
Dia Nacional do Reino Unido
Dia do Enxadrista

E ainda por cima Dia de São João de Sahagún.

Aê, na boa! Esse dia TEM que ser comemorado!!!

9.6.03

Direto dos nossos arquivos, hoje sou...

... um orgasmo


......!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!    ¤     ...

8.6.03

... ridículo

Daí que eu fui convidado pra uma festa. Me disseram que era clubber. Achei maneiro! Já tem um tempo que eu queria tirar do meu guarda-roupa aquela blusa de Super Homem. Sabe qual é? Aquela que tem o brasão do Super Homem no peito. Pois então. Coloquei a tal blusa mais uma calça prateada que eu tenho. Remanescente de uma festa brega. Cara, ficou perfeito! Pra completar, calcei ainda umas botas de couro de jacaré que eram do meu tio, achei que tinha a ver. Esse povo não gosta da Madonna? Pelo que me lembro, ela andou fazendo um estilo cowboy, certo? Então. Blusa de Super Homem, calça prateada, botas de couro de jacaré, arrematando, é lógico, com óculos escuros década de 70. Mega clubber! Ah, sim! Antes de sair ainda passei na casa da minha vizinha que faz teatro e pintei uma mecha de cabelo de rosa. Ficou super hype!!!

Eu pensei também em amarrar um lençol no pescoço, estilo capa. Mas aí já era demais, né? Ia ficar ridículo...

6.6.03

... uma figa

Ei, ei, ei!!!
Se você é um azarado, eu não tenho nada a ver com isso!

E quem foi que disse que eu trago sorte?! Amigo! Alou!!! Você não tem mais jeito não! Nem se eu me juntasse ao trevo de quatro folhas, à ferradura e ao pé-de-coelho!

Sai fora pé-frio!!!

5.6.03

... a porta do metrô

Tuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Vem! Pode vir! Vem que dá tempo!

Tô quase fechando, mas ainda dá tempo de você entrar!!!

Corre! Corre! Cooooorre!!!





Ops! Foi mau! Deu tempo não, né?

hehehe

Te peguei... otário!

4.6.03

mais um post dos nossos arquivos:
hoje sou...

... o reflexo do sol na Lagoa Rodrigo de Freitas


Acordei meio pensativo hoje. Na verdade ando assim de uns tempos pra cá. Um tanto incerto. Será que eu realmente existo?
Para todos aqueles que me vêem, a resposta imediata é sim. Mas é justamente aí que começa a minha questão. Uma breve pausa para reflexão e a resposta pode mudar. Posso ouvir um taxativo não, ou pior ainda, um irônico depende.
Espere, eu explico.
Tenho chegado à conclusão de que eu, reflexo, somente reflexo, não existo. Existo apenas decorrente da soma de uma série de elementos.
Primeiro dependo de seres que enxerguem. Seres que possuam o dom da visão. Todos os outros, provavelmente, sequer têm a consciência de que existe uma coisa chamada reflexo do sol. Ou seja, existo porque você é capaz de me ver.
E não pára por aí. Dependo da luz do sol, dependo do espelho das águas, dependo das leis da física. Eu, sozinho, não sou, não estou. Não posso escolher onde apareço, nem como quero aparecer. Se um dia quero ser mais bonito, mais intenso e no outro menor, mais comedido, não faz diferença. Se quero ser azul, amarelo, verde, vermelho, não há nada que eu possa fazer. Se quero conhecer a noite, ver as estrelas, não tenho esse direito - entenda, sou o reflexo do sol e não o da lua. Em resumo, não tenho o livre arbítrio.
Talvez conseguisse aceitar todos esses fatores, não fosse um único porém. Esse sim, me incomoda de verdade. Para que eu realmente exista, dependo de mais um elemento. Dependo da sua crença de que aquilo que você vê brilhar sobre as águas da Lagoa, realmente existe. Dependo da sua fé em mim.
Acho que gostava mais dos velhos tempos, quando certas perguntas ainda pairavam no ar sem respostas. Ou melhor, dos tempos ainda mais remotos, quando essas mesmas perguntas, sequer haviam sido formuladas. Quando todos aqueles que ao me ver reflexo, brilhando sobre as águas da Lagoa, não tentavam entender de onde vim e como é que surgi. Olhavam pras águas, me contemplavam e apenas pensavam: "Nossa! Como ele está bonito hoje!"

... uma boneca de pano

Barbies? Meninas Super Poderosas? Meu Bebê? Suzy?

Estão achando o que?! Que sou esquecida num canto por causa delas? Engano de vocês, queridinhos. Sou a preferida. Aquela com quem minha dona se abraça na hora de dormir, pra quem conta seus mais secretos segredos, pede conselhos, chora agarradinha.

E não importam meu cabelo desgrenhado, minha roupinha encardida e meu olho torto. É de mim que ela mais gosta. Porque ela sabe. Sabe que sempre serei sua companheira. Sabe que não interessa quantos brinquedos lindos, educativos, coloridos e mágicos ela venha a ganhar, eu espero com paciência. Passado o momento de deslumbre... ela sempre volta pra mim!

Eu ganho até de videogame!

(Pedido da Nívea. Valeu!)

3.6.03

... um cão com dona

Ai, não! Lá vem aquela minha dona tarada! Ai meu Deus... Não tô a fim hoje... Como será que eu deixo a entender que...

Hmmmmm. Caramba... Desse jeito que ela faz... Putz! Não consigo me segurar...

Hmmmmm, coisa boa... au, au, au!!!


AUUUUUUUUUU!
AU AU AU!
AUUUUUUUUUUUUU!!!!

dos arquivos hoje sou...

... uma onda da praia de Copacabana


Até q hoje estou mais calma. Mais tranquila. Diferente de há alguns dias atrás. Estava de ressaca! Uma terrível ressaca.
Tudo começou com a chuva. Que se juntou com o vento. Quando a chuva e o vento se unem, trazem à tona mágoas e rancores, que tento esconder no fundo do oceano. A água da chuva me faz inchar, crescer, transbordar e o sopro do vento me sacode e me agita de uma forma enlouquecedora. Passada a tempestade, como se não bastasse, a ressaca. Diferente da ressaca dos humanos, a ressaca das ondas é enfurecida, destruidora, muitas vezes assustadora. É tanto ódio, q me sinto grande. Quero bater forte, castigar a areia, levar embora barracas, cadeiras de praia, cangas e chinelos. Derrubo turistas e banhistas desavisados, zombando e rindo de seus tombos e mergulhos desajeitadamente corajosos. Por vezes é como se todo o oceano, a praia inteira sofresse junto. Queremos engolir a areia, ultrapassar os coqueiros, chegar na calçada, levar embora os carros, acabar com as avenidas e prédios, como se dessa forma, pudessémos recuperar nosso antigo território. Espalhamos areia no calçadão e assustamos as pessoas, q nos contemplam numa mistura de medo e deslumbramento.
Mais tarde, passada a agitação, cansada e ao mesmo tempo aliviada, volto ao meu embalo natural. O ir e vir. O bater na areia. O brincar com as crianças e em dias mais agitados, levar na garupa divertidos e aventureiros surfistas.
Mas hoje estou bem calma... calminha... a ressaca passou. A raiva dispersou com o vento e ficaram apenas a tranquilidade e a paz.
Hoje estou mansa, quieta, serena. Hoje estou criança... É... acho que hoje não estou mais onda. Hoje sou apenas... uma marolinha...

2.6.03

... um barbapapa

Bolas! Depois que inventaram a geleca e a massinha de modelar, ninguém mais acha graça em mim!

arquivo hoje sou...
... uma salsicha enlatada.


Caramba! Tá ficando cada vez mais apertado aqui dentro! Ai! Ainda por cima eu tô bem no meio da galera! Sempre me disseram q a salsicha do meio, era a q se dava pior. Vc fica rodeado de salsichas. A lata vira prum lado, alguém cai em cima de vc. Vira pro outro, te espremem de novo! Pelo menos acho q a gente já tá no supermercado. Tem uns dias q tá tudo meio parado aqui. Pelo visto estamos no fundo da prateleira.
E essazinha aqui do lado q fede pra caramba! Ninguém aí fora quer um cachorro quente, não?!

MENSAGEM ADMINISTRATIVA

Como o hoje sou resolveu voltar a ativa e os arquivos antigos foram deletados, resolvemos entre um post novo e outro, republicar os melhores momentos do nosso arquivo.

Atenciosamente

Hoje Sou Associados S.A.

... uma salsicha enlata - parte 2


Finalmente compraram a nossa lata! Como é q eu sei? Fácil. Foi mais ou menos uma hora e meia de sacode pra cá, espreme pra lá. Uns barulhos diferentes lá fora. Primeiro muita gente falando, depois máquinas registrando e por fim, carros. Agora está tudo mais calmo. Acho q estamos no ármario da casa de alguém. Ai, estou muito ansiosa... O q será q eu vou virar? Cachorro quente? Salada de Macarrão? Enroladinho de salsicha? Que curiosidade!!!!

... outra salsicha enlatada.

Sou uma das poucas salsichas q ainda permanece dentro desta lata. Mas imagino q não por muito tempo... Nossa querida amiga blogueira foi a primeira a ser retirada. É sempre assim com as salsichas q ficam no meio... Acho q viraremos todas cachorros-quentes. O clima aqui dentro está tenso. Nossas companheiras gritam lá fora. Gritos apavorantes, gritos de dor, gritos de quem morre aos poucos... cozinhando...
Tudo q eu peço agora é para q me poupem, me deixem estragar aqui dentro desta lata. Ou então, para q minha morte seja mais rápida q a das outras.
Estou com medo...

... a índole

Você acha que agiu errado. Foi contra o que sempre te ensinaram ser o certo. Tem a certeza de que deveria ter agido de outra forma. Ainda assim alguma coisa dentro de você te convenceu de que aquele movimento era o correto. E você cedeu a mim.

Sim... essa coisa sou eu. Faço parte da sua natureza e não adianta querer lutar contra. Mais cedo ou mais tarde acabo vencendo. Mais cedo ou mais tarde, venho à tona e te deixo cego para as regras, os dogmas, o mundo.

Paciência. Outro dos meus segredos. A certeza de que em algum momento, falarei mais alto e você não vai conseguir escutar nada além de mim, me torna auto-confiante e acima de tudo paciente.

Fico na espreita, escondida, aguardando.
Porque não há nada mais triunfante do que o momento em que você percebe que ir contra mim, é ir contra sua mais pura natureza... e se entrega!

E mais uma vez, eu te convenço!

1.6.03

... a perna esquerda de uma calça comprida

Não aguento mais essa maldita perna direita! Por favor, alguém! Preciso de uma amputação!

Independência!
Emancipação!

Liberdaaaaaaaade!!!!

... uma bala valda de fibras

É como tirar com a mão!




Ops! Acho que esse slogan já tem dono...

Foi mau aê, Peptozil!

... um pino de granada

Me largou? Depois de tantos anos juntos? Me largou assim? Foi só um babaca pressionar, que ela me deixou?!

Ah! ela que se exploda!!!

(transfiguração gentilmente cedida por Gravata)